algumas peças que sobram

Tenho escrito

Quando era pequeno, sempre desmontava meus brinquedos.
(Não apenas os meus, mas também alguns da minha irmã e não apenas brinquedos, porque sempre que conseguia também desmontava algumas coisas da casa).

Quando desmontava as coisas, percebia que lá dentro existiam muitas pecinhas, muitas coisas que se encaixavam, outras eram soldadas, outras eram moldadas exatamente daquele jeito, e tinha algumas que eram parafusadas, as minhas preferidas, porque tinha menos risco de quebrar.

Mas quebrava. Os parafusos espanavam ou se perdiam, as junções plásticas quebravam, eu esquecia como encaixar alguma peça que acabou ficando fora e eu nem percebi. Era mais fácil para mim o processo de desmontar e descobrir do que o de remontar e unir as coisas. Foi assim com muitos rádios e carrinhos e controles remotos e até com as bonecas da minha irmã, que eu desmontava em membros e enfileirava, pernas para cá, braços para lá, cabeças do outro lado.

Quando comecei a estudar…

Ver o post original 369 mais palavras

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s